in

Um Deputado Europeu ganha mais que a Chanceler Alemã

É da natureza da ovelha não remar contra a maré

Nas instituições cúpula, o valor de uma pessoa e de uma instituição é, muitas vezes,  avaliado pelo ordenado e não pela responsabilidade nem pelo que produz! Um deputado da União Europeia tem um vencimento de 14.727 Euros por mês. Ganha mais que a Chanceler alemã. Não há comparação entre o trabalho e a responsabilidade de uma e o do outro.

A fim de esgotar os 14.727 €, muitos deputados da União Europeia inscrevem-se na lista de presenças do parlamento sem estarem presentes, fazem-no  simplesmente e apenas para levantar dinheiro, como se pode ver aqui no link em alemão e em Servo-croata.

A EU quer a confiança dos deputados e quer tornar o constructo União Europeia atractivo para as elites. As elites é que determinam o ritmo da música! Elas estão seguras porque conscientes que são poucos os que remas contra a maré!

O problema é que a Instituição não quer controlar para que cada um, satisfeito, se sirva quanto mais puder. O povo se estivesse nas mesmas condições e tivesse a mesma oportunidade faria o mesmo; mas elites controlam o povo, o que não fazem em relação aos parceiros! As elites vivem muitas vezes do controlo do povo, mas não admitem o controlo delas mesmas e o povo é ovelha mansa!

O mais questionável nesta reportagem foi o facto de terem expulsado os jornalistas, quando faziam um serviço de controlo a que os deputados pretendem fugir e que a instituição não faz e até impede!

Reportagens como esta, de maneira geral, não correm na imprensa pública para não fomentar o populismo de baixo. Quem melhor se serve e aproveita do regime seria tolo se falasse contra ele: esta é a moral que nos governa! Por isso é muito natural temos o populismo de cima a controlar e a falar mal do populismo de baixo!

Esta parece ser a lógica da governação e da União Europeia que tem investido muito mais nas elites e nos fortes do que no povo! A elite (os nossos pastores políticos) servem água e bebem champanhe, mas o povo pensa que isto é a democracia. Contra a força, contra o oportunismo e contra a burrice não há remédio que cure! Honestidade parece ser defeito em política.

Enfim, esta é a condição social humana criada e democraticamente sustentada. Os pastores servem-se da tosquia das ovelhas para passarem melhor o seu inverno e os lobos quando têm fome descem ao povoado! 

António da Cunha Duarte Justo in, Pegadas do Tempo

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

0 pontos
Upvote Downvote

Publicado por António da Cunha Duarte Justo

Natural de Arouca, formado em Filosofia, Teologia, e Ciências da Educacao, casado com a pintora Carola Justo, 4 filhos, jornalista, (activi.profis. sindicalistas e políticas, cf. http://antonio-justo.eu). Autor e ex-chefe redator da revista Gemeinsam, publicou o livro de poesias “Nas pegadas da Poesia” na OxaláEditora, colaborador de várias revistas e jornais, é presidente da Associação Arcádia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

COMENTE ESTA OPINIÃO!

Agora é que é!

AMAL HUSSAIN – Quando no teu rosto nascerem flores