in

Sócrates e Hitler

Antes de mais devo dizer que, no essencial, eu comungo com eles. Porquê? Porque acredito numa mesma natureza humana, um rosto humano em tudo o que é homem e mulher, a qual tem na Liberdade pessoal o seu traço essencial. A mesma liberdade que leva a actos verdadeiramente humanos, é também capaz das maiores atrocidades e monstruosidades. Grande mistério este! Mas o mal, embora pareça, não tem a última palavra.

Sócrates e Hitler juntos neste post porque calhou esta semana eu ver no Canal História um documentário sobre o ditador alemão e na televisão portuguesa vi a Manuela Moura Guedes, o Henrique Monteiro e o José Manuel Fernandes a falarem do ex-primeiro ministro.

Hitler tinha uma ambição desmedida pelo poder, uma paranoia que atraia incompreensivelmente multidões que o seguiam cegamente e lhe amparavam o sonho. Era hipocondríaco e tinha, como poucos, um cuidado com a sua imagem, a ponto de convidar jornalistas de todo o mundo para passarem uma tarde com ele, para poderem testemunhar a sua normalidade e modernidade. O seu carinho pelo cão, etc. Em torno de si cresceu uma cegueira e um inebriamento, só compreensíveis por uma mesma ânsia de domínio da parte daqueles que o imitavam. Uma cumplicidade estonteante que levou a consequências de todos conhecidas.

Ao olhar o documentário com atenção, fixei a cara do monstro e vieram-me à memória imagens familiares. O mesmo olhar, a mesma loucura. Um “ar de família”. Há pessoas assim, como testemunharam os jornalistas portugueses que referi.

Felimente que dos fracos não reza a História. Eu? Vou aprendendo a olhar os factos e a reter o essencial

Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13). Exortai-vos cada dia uns aos outros, até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

1 ponto
Upvote Downvote

Total votes: 1

Upvotes: 1

Upvotes percentage: 100.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

COMENTE ESTA OPINIÃO!

O grande vencedor da Eurovisão 2018

Brincar para me salvar