in

“Pseudo” testes online que avaliam a personalidade em dois minutos

Aposto cinco euros como todos nós já visitamos aqueles sites em que dizem avaliar a nossa personalidade em dois minutos, nem que seja por mera curiosidade. Não é difícil consegui-lo, dado que existem centenas e centenas de sites desse tipo, perpetuados pela internet fora. No entanto, é difícil respeitar a sua duvidosa credibilidade, já que os testes psicológicos que avaliam a personalidade e outros aspetos, podem demorar anos até serem colocados em prática. Esse processo deve-se a uma matéria muito específica: a Psicometria.

Na perspetiva de Pasquali (2009), a Psicometria é um campo científico da Psicologia que procura construir e aplicar instrumentos para a mensuração de construtos e variáveis psicológicas, junto da análise estatística. Como se já não fosse complexo o suficiente, esta disciplina envolve qualidades psicométricas como a validade e a fidedignidade.

A validade é a capacidade do teste medir aquilo a que se propõe. Já a fidedignidade é a “consistência dos scores obtidos pelos mesmos sujeitos quando são examinados com o mesmo teste em espaços de tempo diferentes” (Anastasi & Urbina, 2000).

De uma forma simplificada, todo este conjunto de procedimentos é exigido para que os Psicólogos tenham acesso aos verdadeiros testes psicológicos, exigindo constantamente esforço e resiliência.

É através de um teste psicológico (e não só!) que se recolhe algumas informações importantes acerca do paciente, como os seus níveis de ansiedade e/ou depressão. E não é apenas numa sessão que se consegue analisar todos esses dados, até porque os testes terão que ser corrigidos e interpretados corretamente.

Não será, portanto, digno de se afirmar que “tenho uma personalidade amigável” ou “tenho depressão major e sou bipolar”, cuja informação foi dada por um site sem qualquer evidência científica e com dados recolhidos de cinco perguntas de escolha-múltipla. E não menos importante, se os testes verdadeiramente psicológicos estivessem disponíveis a qualquer um, a profissão de Psicólogo, iria definitivamente por “água abaixo”.

Os “pseudo” testes online não avaliam a personalidade em dois minutos, apenas realizam um “jogo de brincar” aos “profissionais” em que não demonstra em nada, um diagnóstico verdadeiro e, mesmo que haja algum tipo de sintomatologia clínica, o ideal será sempre consultar um profissional de saúde mental.

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

Publicado por Alexandra Jesus

Mestranda em Psicologia do Trabalho e da Saúde Ocupacional pelo Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes.

Projetos: Psico.TV - Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

A ilusão da promoção da auto-estima com a perda de peso

O que difere um Enfermeiro-Psicoterapeuta de um Psicólogo-Enfermeiro?