in

Portugueses são bons a dar com uma mão e a tirar com a outra

Se há coisa que poucos povos (ou nenhum) nos bate é na veia solidária. Quando é preciso os portugueses são os primeiros a abraçar as causas. Mesmo com pouco, movemos montanhas e ganhamos grandes batalhas.

Prova disso foi a campanha de apoio à bebé Matilde. Em pouco mais de dois dias, os portugueses juntaram 2 milhões de euros. A magia de uma conta a crescer para salvar uma vida. Impressionante como o dinheiro faz a diferença.

Este caso foi feliz. Com a força dos portugueses e com o burburinho causado conseguiu-se que o Governo se mexesse e que os tratamentos para salvar a bebe fossem pagos pelo Estado.

A Noa esperou tempo demais. A Noa não teve esta sorte. Ninguém teve a culpa. Não podemos aqui culpabilizar uns pais de Matilde por não ajudarem, não podemos dizer que o Hospital não estava a preparar o medicamento e o tratamento. Simplesmente estava escrito, creio. Há certas coisas que parecem incompreensíveis mas que há uma razão para acontecerem.

A pequena Noa é a estrela para vermos que com a saúde não se brinca e não se espera. A pequena Noa é uma luz. Ninguém desejava este desfecho. Todos desejávamos que a Noa estivesse com a pequena Matilde a escrever uma  história de superação. Uma história feliz.

São sortes. São destinos.

Se na solidariedade fazemos magia, nas criticas somos imbatíveis.

Mesmo sob o lema ‘Juntos somos mais fortes’ conseguimos ser tão cruéis.

Mal se soube que o tratamento da pequena Matilde seria pago pelo Estado, lá veio quem doou pedir de volta o dinheiro. Que crueldade.

Os pais que lutam para dar saúde àquela menina a ler mensagens de ódio. Como é possível?

Críticas constantes, desconfianças diárias, ao ponto de se marcar uma conferência para justificar o dinheiro e como estaria a ser aplicado.

Bem sei que neste país corrupto é preciso andar com um pé atrás, mas quem doou para o bem, quem doou de livre vontade, não deve vir tirar.

Os pais desta menina podem ter ganho o euromilhões com o tratamento pago pelo estado, mas certamente que não será apenas esse o custo da doença e da qualidade de vida que Matilde merece.

E quando digo Matilde, digo todas as crianças que passam por dificuldades, que estão doentes ou que não têm uma vida digna.

Um agradecimento pessoal aos pais da Matilde por fazerem uso do dinheiro doado para ajudar outras crianças. Obrigado abraçarem esta missão. Obrigado por lutarem.

Força ao pequeno Tomás Leal.

#juntossomosmaisfortes

#hojepormimamanhaporti

publicidade

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

Publicado por Margarida

Gosto de opinar sobre os mais diversos assuntos da atualidade. Este será o espaço onde darei o meu ponto de vista sobre o comportamento da sociedade.

publicidade

Deixe uma resposta

publicidade

CR 700 – A Selecção faltou à festa do Capitão

A Polónia votou reconfortando os conservadores europeus