in

Já não há esquerda nem direita – Manifestantes e activistas tomam conta da praça de Paris

 Já não há esquerda nem direita o povo é quem protesta

Com um presidente sem partido é nisto que a política dá: junta-se a esquerda e a direita com o povo e então a situação torna-se incontrolável; assim não se podem jogar uns contra os outros. Como se vê nos Champs-Elysées de passa a haver só os “lá de cima” e os “cá de baixo”.

Desde há uma semana protestam os os manifestantes do movimento “coletes amarelos” contra os altos preços da gasolina e o custo de vida. Neste sábado, só nos Champs-Elysées juntaram-se 5.000 manifestantes, entre eles membros mascarados da extrema direita e da extrema esquerda. Apesar da mobilização de 3.000 policiais, os manifestantes provocaram fortes tumultos construindo barricadas e destruindo móveis urbanos. Pelo menos 19 pessoas ficaram feridas, incluindo quatro policiais.

A polícia tem reagido com canhões de água e gás lacrimogéneo contra os manifestantes.

Nos Elyssées, o movimento até já berra “fora com Macron”.

Numa mensagem, Macron reagiu com clareza de intenção: ”Obrigado às nossas forças de segurança por sua coragem e profissionalismo. A vergonha para quem os atacou. Vergonha para aqueles que abusaram de outros cidadãos e jornalistas. Vergonha para aqueles que tentaram intimidar os funcionários eleitos. Na República não há espaço para este tipo de violência.”

Um crítico do presidente expressando o pensar de muitos franceses, saiu-se com esta assim: “Macron, a única aposentada que ainda te aguenta é a tua esposa!”.

O povo, que as nossas elites produziram, não está fácil de se enfileirar em conceitos polares e isto deveria ser uma oportunidade para uma maior reflexão política, doutro modo o que se vê é que se os políticos não deixam de servir a plutocracia teremos um povo cada vez mais “endiabrado”!

O problema cada vez se torna socialmente mais grave porque a geração facebooquiana cada vez está mais informada apesar das campanhas que os favorecidos pelo regime fazem contra ela; isto até que a cheguem a controlar também! O escândalo de uma plutocracia cada vez mais forte, com a anuência da política, constitui um real rastilho de incêndio!

É verdade que a classe média europeia se sente fatigada e até parece estar nas intenções da agenda, ser defraudada para se criar uma sociedade anónima de cientismos! Vamos indo e vendo no que isto vai dar. Não promete melhora porque as elites divertem-se enquanto o povo berra!

Na Alemanha ouvem-se apenas moderados protestas e os que há dirigem-se mais contra o Pacto de Migração da ONU, pois consideram-no uma expropriação do Estado e do povo!

Vídeo dos acontecimentos.

António da Cunha Duarte Justo in Pegadas do Tempo

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

0 pontos
Upvote Downvote

Publicado por António da Cunha Duarte Justo

Natural de Arouca, formado em Filosofia, Teologia, e Ciências da Educacao, casado com a pintora Carola Justo, 4 filhos, jornalista, (activi.profis. sindicalistas e políticas, cf. http://antonio-justo.eu). Autor e ex-chefe redator da revista Gemeinsam, publicou o livro de poesias “Nas pegadas da Poesia” na OxaláEditora, colaborador de várias revistas e jornais, é presidente da Associação Arcádia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

COMENTE ESTA OPINIÃO!

História de Portugal e do Posto Consular num quadro

O preço da Paz em Portugal