in

Hoje é dia do Beijo!

Mas não são todos os dias? – São. – Esse é só para lembrar, para não esquecer, para beijar mais, ou para quem nunca experimentou o fazer, para beijar quem já não se gosta, ou para beijar quem se está a gostar… é apenas para beijar mais um pouco, com pretexto.

Beijar é bom, é bonito, há muitos benefícios advindos de beijar e ser beijado. Quem beija demonstra afeto, carinho, educação, que é confiável, que confia. Afinal quando beijamos alguém, aproximamo-nos da intimidade do outro, ficamos próximos demais da sua zona de conforto, da nossa.

Beijar emagrece, alivia a tensão, promove bem-estar em quem beija, em quem é beijado.

Há vários tipos de beijo: com toque de lábios na face; toque de face com face; beijo de raspão, quase roubado; beijo de chapa para dizer está tudo bem; beijo de língua, quando envolve muita emoção. Há beijos dados na face que a molham, as crianças detestam-nos, limpam-se rapidamente com a manga da camisola. Parece que há pessoas que quando beijam dão tudo de si, não é por maldade. Os apaixonados trocam beijos de boca, compartilham as suas intimidades, é uma forma de dizerem mil coisas um ao outro, sem realmente as dizer. São segredos que dizem à boca do outro por, naquele momento, recear dizê-las ao ouvido.

Existem beijos de cinema, que ficaram para a história. Na história de cada um, há também doces memórias associadas a beijos, temos todos muitos beijos de que nos orgulhar.

A meu ver não existem pessoas que beijam bem e outras que beijam mal. No beijo há sempre dois envolvidos, o pretexto do beijo é que nem sempre é adequado, ou então um é mais apressado, ou atrapalhado… havendo realmente sentimento, beijos nunca dão errado. Os melhores beijos são, afinal, os decididos, mesmo que a decisão seja colocar-lhes um termo. Quase todos já merecemos, pelo menos, um beijo roubado. Mas a arte de beijar é fazê-lo devagar, olhos fechados, e o coração a estoirar de contente, sem pressa.

Claro que também existem beijos sem alma, beijos dados só por educação, vazios; beijos com demasiados cuidados; beijos demasiado curtos ou demasiado demorados; beijos secos, ou brutos, e até despropositados. Ah e há muitos beijos recusados ou, por outro lado, mascarados.

Uma coisa é certa: para um beijo com sentido, basta uma boca encontrar quem dê um beijo de verdade.

Alguém disse uma vez, a respeito das nossas diferenças: O homem perde o senso da razão após uns copos, uma mulher após uns beijos. E eu vos digo que cada um sabe de si.

Hoje o meu abraço desdobra-se em milhares de beijos, para chegar a todos, diretamente do meu coração!

Segue a minha página, caso queiras ler mais textos do domínio psicológico e espiritual, disponível no Facebook.

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

1 ponto
Upvote Downvote

Total votes: 1

Upvotes: 1

Upvotes percentage: 100.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

COMENTE ESTA OPINIÃO!

Enterrar a cabeça na areia!…

A oncolamúria de uma besta irónica

A oncolamúria de uma besta irónica