in

Covid e a Quarentena

Hoje dia 5 de Abril deixo aqui a minha opinião. 

Não estaremos nós habituados a viver em quarentena? Não teremos sempre de pensar que hoje é dia de eleições europeias? O fruto proibido é o mais apetecido , quando temos que sair de casa para alguma eventualidade temos sempre desculpa para ficarmos em casa, mas agora o pedido é ficar em casa e queremos ter sempre uma desculpa para sair. 

Mas estar em quarentena tem coisas boas! O vosso cão já foi passear mais vezes à rua nestes últimos dias do que na vida toda dele. Aqueles que os abandonam quando querem ir de férias, devem sentir falta deles para terem uma desculpa para poderem sair de casa agora. 

E os pais que chegam sempre tarde do trabalho, podem passar estes dias com os seus filhos, poderão compensar estes anos perdidos. 

Batemos palmas ao pessoal médico e agora até gostamos dos auxiliares de ação médica, mas há uns meses atrás, dizíamos que eram eles que não queriam estudar e ainda o estado pagava para eles tirarem este curso! E a greve dos enfermeiros há uns meses? Aqueles que batem palmas agora, há uns meses estavam a olhar para o seu televisor e a pensar para si mesmo que os enfermeiros não queriam é trabalhar. Consoante muda o vento, vamos mudando o nosso discurso. 

A parte má de estar em quarentena é que as pessoas podem passar mais tempo nas redes sociais, onde é praticamente outro planeta. Existem pessoas que denomino de “justiceiros” conseguem ter sempre uma opinião de resolução do mundo tão fácil, desde do aquecimento global, ao combate desta pandemia. 

Para mim, estar de quarentena é uma experiência, que esperamos nós não voltar a acontecer. Tem sido um desafio constante manter-me bem mentalmente e fisicamente. Já deu para pensar na quantidade de transmissão de germes que já fizemos sem nos apercebemos? No nosso aniversário ao suprarmos as velas podíamos ter contaminado a nossa família toda, e quando levantamos dinheiro do multibanco? Se pensarmos nas múltiplas formas de contaminação, éramos todos obcecados. 

O que acontecerá aos afetos após esta pandemia passar? Como havemos de reagir a uma tentativa de abraço e beijos? Não sei se ficará tudo igual, não irá, iremos demorar a voltar à normalidade que para nós portugueses que amamos tantos afetos ficaremos reticentes a estas tentativas. 

Iremos vencer esta pandemia, a nossa economia irá sofrer, as empresas irão endividar-se para passado 6 meses estarem a fechar portas. A crise estará para vir, o ciclo do perde o emprego, o banco penhorar a casa, irá voltar a acontecer, os mais ricos terão a oportunidade de investir, este pesadelo acontecerá de novo. 

Estaremos cá para lutar e para poder ver como o nosso país irá reagir. 

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

Publicado por Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Boas Acções

Não chega o perdão dos pecados, é altura da Igreja nos dar a mão