in ,

Campanha do “Banco” Alimentar Contra a fome em Portugal

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa não tem Medo do Cheiro a Povo

Em Portugal há 21 bancos alimentares contra a fome que correspondem a 21 associações de solidariedade independentes e se encontram distribuídas por todo o país.

Decorreu a 54ª campanha de recolha de bens alimentares até 9 de Dezembro conseguindo-se, com o apoio de 40.000 voluntários, recolher 2.146 toneladas de alimentos que serão distribuídos, antes do Natal, a 2.600 Instituições de Solidariedade Social, que os entregam a cerca de 400.000 pessoas comprovadamente carenciadas.

Quase 20% dos portugueses são pobres e existe um milhão de idosos com rendimentos abaixo dos 250 euros. O Presidente Marcelo defendeu que o projeto Banco alimentar  “é cada vez mais necessário“. 

Numa sociedade onde muitos governantes e banqueiros têm arruinado o país, tornam-se indispensáveis acções como estas.

O presidente da República tem participado nesta campanha, como voluntário, em acções simbólicas. Parece seguir as pegadas do Papa Francisco.

Ontem o Presidente da República juntou-se aos voluntários que estavam a servir almoço a 300 pessoas sem abrigo. 

Os sem abrigo em Portugal, segundo os dados da segurança social, eram em 2017: no Porto 1.620, em Lisboa 889, em Faro 355, em Setúbal 256, em Coimbra 182.

No último fim de semana o Presidente da República de Cabo Verde, de visita a Portugal foi convidado por Marcelo Rebelo de Sousa a ir com ele juntar-se a centenas de jovens que estavam a separar e empacotar géneros para serem depois distribuídos aos pobres. 

Segundo a carta dos direitos humanos toda a pessoa não deve passar fome sendo um dever do Estado assistir aos necessitados.

Ao longo de todo o ano, os bancos alimentares distribuem várias dezenas de milhares de toneladas de produtos e distribuem refeições confecionadas e cabazes de alimentos a pessoas pobres.

Um apêndice: Nos Media, muita gente critica o Presidente Rebelo de Sousa por se misturar tanto com o povo, isto é, com os desfavorecidos do sistema político e social que temos. De admirar é que não entusiasmem o Primeiro Ministro António Costa a imitá-lo. Bastantes andam muito mal informados porque não sabem que muitos dos “protagonistas cimeiros” nunca fariam tal, porque só não têm nojo do povo quando há campanha eleitoral! O cheiro a povo compromete!

© António da Cunha Duarte Justo in, Pegadas do Tempo

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

0 pontos
Upvote Downvote

Publicado por António da Cunha Duarte Justo

Natural de Arouca, formado em Filosofia, Teologia, e Ciências da Educacao, casado com a pintora Carola Justo, 4 filhos, jornalista, (activi.profis. sindicalistas e políticas, cf. http://antonio-justo.eu). Autor e ex-chefe redator da revista Gemeinsam, publicou o livro de poesias “Nas pegadas da Poesia” na OxaláEditora, colaborador de várias revistas e jornais, é presidente da Associação Arcádia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

COMENTE ESTA OPINIÃO!

Três géneros: Masculino, feminino e diverso

Ordenados em serviço da competição