in

A ilusão da promoção da auto-estima com a perda de peso

É sabido que a perda de peso está associada ao aumento da auto-estima, mas poderá essa relação ser ilusória?

A auto-estima é a relação que nós temos de nós próprios, é a valorização e a perceção do nosso “Eu”.  O auto-reconhecimento, auto-aceitação, atingirmos os nossos objetivos estipulados, alcançarmos as metas desejadas, cuidarmos de nós: Todos estes pertencem à nossa auto-estima.

Quando um indivíduo não tem segurança de si próprio, não está satisfeito consigo, é pessimista ou sente que não consegue controlar a sua vida, estes poderão ser os sinais que demonstram que o indivíduo tem uma baixa auto-estima. Então, será que a perda de peso poderia auxiliá-lo? 

Seria possível ajudá-lo na medida em que, por exemplo, o indivíduo em causa seja considerado como obeso e necessite de ter estilos de vida mais saudáveis. Nessa situação descrita e estando a perda de peso relacionada com a promoção de hábitos saudáveis, de facto, esta poderia aumentar a sua auto-estima. Mas será que o panorama é sempre assim?

Um caso para refletir: um indivíduo com o Indíce de Massa Corporal (IMC) ideal (tendo em conta os diversos fatores a avaliar), tem uma baixa auto-estima e visualiza o aumento desta com a perda de peso. Porque é que estas duas variáveis se relacionam? Graças à visível pressão cultural representada pelas redes sociais, blogues, entre outros, que promovem a magreza e a perfeição (in)existente, com as fotografias perpletas de ângulos “atípicos” ou de corpos “esculpidos” isentos de defeitos.

Imaginei ainda um outro quadro: Ora, um(a) indivíduo(a) pesa 62 kilos, tem uma baixa auto-estima e pretende aumentá-la, reduzindo o seu peso corporal. Atinge os 54 kilos. Será que a sua auto-estima aumentou por diminuir um tamanho nas calças? Não. É uma faixa ilusória. E esta ilusão pode ser “muito cara”, com o possível desvio para perturbações do comportamento alimentar, como a anorexia nervosa.

A perda de peso não deve de ser o fator principal para combater a auto-estima, apenas se estiver aliada em casos específicos cujo objetivo principal é ser saudável e não apenas emagrecer. 

É notável a ilusão em que, perante uma baixa auto-estima, se existir perda de peso, o indivíduo ganhará auto-valorização por si só.

Também gostaria de publicar o seu artigo de opinião no nosso site? Clique aqui.

Vote nesta opinião

Publicado por Alexandra Jesus

Mestranda em Psicologia do Trabalho e da Saúde Ocupacional pelo Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes.

Projetos: Psico.TV - Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

A (falsa) má imagem da Psicologia

“Pseudo” testes online que avaliam a personalidade em dois minutos